A música brasileira perde a maestrina Naomi Munakata

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Naomi Munakata, regente titular do Coral Paulistano Mário de Andrade, faleceu nesta quinta-feira (26), na capital paulista, vítima da COVID-19.

Nascida em Hiroshima, no Japão, viveu no Brasil desde os dois anos de idade. Criou o Coral Sinfônico de Estado que se transformou no Coro da Osesp e o dirigiu durante duas décadas. Seu trabalho ali foi um marco para a música sinfônica no Brasil. Atualmente era regente titular do Coral Paulistano.

Para o diretor executivo do Orquestrando o Brasil, José Roberto Walker, “Naomi era uma musicista extraordinária e o seu trabalho como regente e professora marcou toda uma geração de músicos e coralistas. Graças ao seu incrível trabalho, o Coro Sinfônico se tornou uma referência para a música no Brasil.”

Aluna de Naomi, a maestrina Natália Larangeira regente assistente da Ossa (Orquestra Sinfônica de Santo André) e da OFBA (Orquestra Filarmônica de Buenos Aires), da Argentina e fundadora da Associação Camerata Filarmônica de Indaiatuba/SP, lamenta muito a sua partida.

“Naomi foi fundamental na minha vida. Lembro do medo da primeira aula de regência, do coração disparado porque agora eu teria aulas com a maestrina do coro da Osesp. Ela me apresentou um jeito novo de pensar e viver música, era sempre muito exigente e em muitos momentos me forçou a pensar se eu estava tudo fazendo que estava ao meu alcance para ser uma regente. Nunca me esquecerei do abraço e das palavras doces de apoio pela regente que eu estava me tornando”, disse.

A morte da maestrina também foi lamentada pelo regente e diretor artístico da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa/PB, Laércio Diniz. “Conheço a Naomi desde 1985 quando vim para tocar na Orquestra do Teatro Municipal de São Paulo. A nossa amizade se fortaleceu quando nos reencontramos algumas vezes, na década de 90, na Alemanha. Tive a possibilidade de gravar com ela como maestrina e fazer com ela diversos concertos com a minha orquestra Engenho Barroco”, conta o maestro. “Nos deixa uma grande musicista, uma mulher que ajudou a melhorar os rumos da música no Brasil e principalmente uma grande amiga”, conclui.

 

 

Compartilhe.

Deixe uma resposta

19 − 15 =