Copa América é tema de concerto em São Paulo/SP

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Seleção de músicas de nove países participantes da Copa América integrarão concerto da Orquestra de Cordas Laetare neste domingo (23)

Que o futebol mexe com a alma do brasileiro, todo mundo sabe. Essa paixão que extrapola todas as barreiras chegou agora, em grande estilo, a um terreno inesperado, o da música orquestral.

A música vai entrar em campo. Nove dos países participantes da Copa América serão homenageados com músicas executadas no concerto que será realizado neste domingo (23) no Clube Piratininga (Alameda Barros, 376 – São Paulo), às 19:30h.

Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Japão, Paraguai, Peru e Venezuela serão representados por composições de nomes como Carlos Gardel, Astor Piazzolla, Shin-Itchiro Yokoyama, Agustin Barrios Mangore, Leonardo Cárdenas Palácios, Francisco de Paula Aguirre e o brasileiro Zequinha de Abreu, que desfilarão ao som das cordas da Orquestra de Cordas Laetare.

Constituída por 33 músicos (violinistas, violistas, violoncelistas e contrabaixistas), a orquestra, cujo nome traduzido do latim significa “Ser Feliz”, foi criada em 2007, para participar do projeto de ação cultural denominado “Quem Tem Medo da Música Clássica?” promovido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. O propósito era levar concertos comentados para as escolas públicas.

O projeto terminou, mas a orquestra se manteve graças ao entusiasmo dos músicos liderados pela regente Muriel Waldman. Comporta atualmente um grupo eclético formado por profissionais de todas as idades, sobretudo jovens. O processo de seleção é rigoroso e todos, sem exceção, são escolhidos a partir de rigorosos exames.

Egípcia de Alexandria, naturalizada brasileira e radicada em São Paulo, Waldman, é regente e mestre em musicologia e práticas interpretativas pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Incansável, tem sua vida totalmente dedicada à música e nunca parou de estudar. Aluna de Eudóxia de Barros, Eleazar de Carvalho, Osvaldo Lacerda e Almeida Prado, entre outros nomes consagrados, fez cursos em Stuttgart, na Alemanha e no Cleveland Institute of Music, nos Estados Unidos. Uma curiosidade: resolveu estudar música somente quinze anos depois de trabalhar como professora de Física, matéria em que se graduou na USP.

A regente conta que procurou “quase todos os consulados ou embaixadas dos países envolvidos e diversos se interessaram pelo projeto mandando partituras ou me colocando em contato com orquestras jovens de seus países”. E completa “foi assim, pude enriquecer o repertório”.

O trabalho de pesquisa de Muriel Waldman envolveu contato direto com vários compositores que, além de suas partituras ofereceram conselhos detalhados sobre a execução, considerados de grande valia.

Estreia Mundial

Esse estreitamento de relações com autores do exterior rendeu bônus valiosos, como é o caso da estreia mundial da peça “Oración” da compositora argentina Ana Leira Carnero e a primeira audição no Brasil de “Aukiaukeando” do boliviano Gabriel Revollo; “Alabazo” do equatoriano Leonardo Cárdenas Palácios e “Ascent to Mt. Kabuto-Yama” do compositor japonês Kohei Kondo.

A expectativa do corpo diplomático dos países participantes é grande. Muitos de seus integrantes já confirmaram sua presença no concerto.

Com todas essas credenciais, há de se prever que a noite de domingo reserva um espetáculo inesquecível.

Com ingressos a R$ 15,00, que podem ser adquiridas no local do evento, tudo indica que o público presenciará um verdadeiro golaço da nossa música instrumental.

Vale a pena conferir.

Fonte: Terra

Compartilhe.

Deixe uma resposta

3 + doze =