Maestro João Carlos Martins conta rotina na quarentena: ‘Estudando 7 horas de piano por dia’

Google+PinterestLinkedInTumblr+

O pianista, que voltou a tocar graças a luvas biônicas, está há três meses sem sair de casa; ele descreve a emoção de tocar de novo com dez dedos no teclado e planeja live no aniversário

O Altas Horas deste sábado, 6/6, foi muito especial! Serginho Groisman conversou por videoconferência com o maestro João Carlos Martins sobre sua rotina durante a quarentena para conter a pandemia da COVID-19. O pianista revelou que não sai de casa há três meses, desde o início do isolamento social. E mais tempo em casa se tornou sinônimo de mais tempo de estudo. O músico, que voltou a tocar o piano graças ao desenvolvimento de luvas biônicas, contou que passa sete horas por dia praticando os movimentos de seus dedos no teclado do instrumento.

“Não sou muito de redes sociais, quando coloquei isso [ele começa a tocar o piano], de repente estava em 187 jornais que estava colocando meus dez dedos no piando depois de 22 anos. Em vez de decorar partitura, estou aproveitando para estudar sete horas de piano por dia”, explicou.

O pianista tentou descrever para o apresentador a emoção de poder realizar a função que ele mais ama na vida: tocar o piano. “Você não imagina a luta, porque fiquei 22 anos [sem tocar]. É uma experiência, não sei onde posso chegar. Não estou falando que vou ser o pianista que era antes, mas o simples fato de poder viver com o meu velho companheiro é uma emoção incrível.”

No final de junho, João Carlos Martins completa 80 anos. O maestro declarou que pretende entrar ao vivo nas redes sociais para contar os seus planos para o futuro. Ele brincou: “Quando fizer 80 anos, vou fazer uma live falando dos projetos para os próximos 20 anos.”

Amizade com o jornalista Gilberto Dimenstein

O Maestro João Carlos Martins era um grande amigo do jornalista Gilberto Dimenstein, que faleceu no dia 29/5. Ele lutava contra um câncer no pâncreas há nove meses. O pianista falou que conversou com o amigo um pouco antes de seu falecimento e teve a oportunidade de tocar duas músicas para ele:

“No dia que o Gilberto faleceu, cinco dias antes, falei com ele por telefone e ele disse: ‘meu coração está parando’. Eu toquei duas músicas para ele. No dia que soube, comecei a chorar compulsivamente. Uma grande perda para São Paulo e para o jornalismo brasileiro.”

Programa em homenagem ao maestro

O público reviveu um momento especial dos 20 anos de Altas Horas: uma edição inteiramente dedicada ao pianista e com muitos convidados especiais. No programa, que foi ao ar em julho de 2010, o Maestro e a Orquestra Bachiana Filarmônica tocaram ao lado de Milton Nascimento, Sandy, Maria Gadú, Chitãozinho & Xororó, Arnaldo Antunes, Ed Motta, Fernanda Takai, César Menotti e Fabiano, Dudu Nobre, Rogério Flausino e Pitty.

Fonte: GShow

Compartilhe.

Deixe uma resposta

dezenove + 15 =