Maestro Martinho Lutero Galati de Oliveira morre em São Paulo após contrair coronavírus

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Família pede para que amigos permaneçam em casa e deixem homenagens para ‘futuro próximo dada a gravidade da crise pela qual passamos e aos riscos de contaminação’.

Martinho Lutero Galati de Oliveira, maestro e criador da Rede Cultural Luther King (1970), morreu em São Paulo, nesta quarta-feira (25), aos 66 anos. A informação foi confirmada pela mulher do maestro ao G1 e publicada na página oficial da instituição da qual era regente.

Martinho foi diagnosticado com coronavírus. Segundo Sira, mulher do maestro, ele foi internado em 17 de março. O primeiro teste realizado para identificar a Covid-19 deu negativo. Já o segundo deu positivo, mas o resultado só foi informado durante o processo de certidão de óbito. Na manhã desta quarta-feira (25), Martinho havia apresentado melhora no quadro de saúde, mas sofreu uma parada cardíaca durante a noite.

Em comunicado, a família pede para que amigos permaneçam em casa e deixem homenagens para “futuro próximo dada a gravidade da crise pela qual passamos e aos riscos de contaminação” por coronavírus.

A cerimônia de cremação acontece nesta quinta-feira (26), no crematório da Vila Alpina.

O maestro Martinho Lutero Galati de Oliveira, que tem cinco décadas ininterruptas de produção musical, criou o Coro Luther King aos 16 anos. Já o Coro Cantosospeso foi criado por ele já 34 anos em Milão, na Itália. O nome é uma homenagem a uma das obras do compositor italiano Luigi Nono, de quem Martinho foi aluno.

“Ele sempre teve uma mente inventiva e a alma inquieta”, disse Sira. “Teve uma carreira brilhante e deixa um legado único.”

A Rede Cultural Cantosospeso, na Itália, da qual o Coro Cantosospeso faz parte, também lamentou a morte do maestro. “Nossa dor é imensa, mas procuramos consolação em sua paixão pela música.”

Fonte: G1

 

 

 

Compartilhe.

Deixe uma resposta

dois × dois =