No aniversário do Husm, orquestra surpreende profissionais da saúde e pacientes

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Na manhã desta quinta (29), o Hospital Universitário de Santa Maria (Husm) – RS promoveu uma ação musical em parceria com a Orquestra Sinfônica de Santa Maria, para comemorar os 51 anos do hospital. No estacionamento, um sexteto se apresentou por cerca de 40 minutos, homenageando pacientes e profissionais da saúde com canções de diferentes estilos musicais.

Entre uma música e outra, ouvia-se os aplausos vindos das janelas dos quartos, de onde os pacientes puderam acompanhar a apresentação. Funcionários do hospital foram presenteados com pequenas mudas de plantas e suculentas, um gesto de delicadeza promovido pela Floricultura Escola do Colégio Politécnico. A apresentação terminou com um “parabéns a você” aplaudido até por quem passava de carro em frente ao hospital.

Estavam presentes a equipe de direção do Husm, o maestro da Orquestra Sinfônica de Santa Maria Tita Sartor e o reitor professor Paulo Afonso Burmann, que logo após o encerramento musical, se deslocaram para o interior do hospital para a inauguração simbólica da placa em alusão aos 50 anos da instituição, que não foi possível de ser comemorado no ano passado, em função da pandemia.

Para o maestro, foi uma honra fazer parte da celebração. “É uma bonita trajetória traçada pelo Husm neste meio século. Para celebrar isto, trouxemos um sexteto de músicos da orquestra, com instrumentos de metal como o trompete, trompa, tuba, trombone”,  conta Sartor.

O grupo de músicos que participou da ação foi Cristiano Bencke (trompete), Marcos Xavier (trompete), José Munhoz (trompa), Wellington Cieira (trombone), Mauro Millani (tuba), Dimas Arthur (compositor) e Pedro Monti (percussão).

A chefe do serviço de urgência e emergência Rosângela Marques Machado, estava até dançando ao som da orquestra. Ela explica o quanto a música faz diferença no dia a dia de quem trabalha na linha de frente em tempos de pandemia.

– Além de ser uma data importante para a comunidade, nós nos sentimos lisonjeados em poder participar desta ação. Para nós, que passamos muito tempo sem ouvir música, momentos como este trazem leveza e dão ânimo – diz Rosângela.

Para Virgínia Coser, chefe de oncologia, ações como esta são um alento para os funcionários, mas acima de tudo para os pacientes: “Mesmo não atuando na linha de frente, temos que lidar com a gravidade dos pacientes que chegam com as consequências da Covid. Desde 2020 eles têm tido dias difíceis e ações como esta, são um respiro no tratamento, porque a música é paz na alma”, ressaltou.

A médica Elaine Resener, superintentende do Husm, lembra a importância de se valorizar os profissionais em tempos tão difíceis para a área. “Não dá pra deixar de comemorar, é uma maneira de motivar os profissionais que se superam a cada dia para atender a população de acordo com as necessidades impostas pela pandemia. Todos os profissionais estão de parabéns e merecem esse alento no dia”, destaca.

Após fazer a leitura da placa comemorativa, o reitor lembrou a relevância do hospital para a sociedade e também para a UFSM. “O Husm é decisivo e vital para grande parte da comunidade, mas para além do papel de assitencia, ele atende de forma brilhante e estratégica a atividade do ensino da pesquisa e da extensão. Por isso, todas as energias possíveis e impossíveis da UFSM em parceria com a ebserh, são destinadas para garantir o funcionamento dessa estrutura”, concluiu.

Fonte: Diário de Santa Maria

 

Compartilhe.

Deixe uma resposta

8 − um =