Orquestra Afrosinfônica realiza concerto na Casa Ninja, em Salvador/BA

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Com um histórico de produção de música clássica genuinamente brasileira, a Orquestra Afrosinfônica está realizando um período de júbilo em comemoração aos seus 10 anos de existência, completados em novembro de 2019. E mais um capítulo dessa comemoração é vivido hoje, terça-feira (4), às 21h, na Casa Ninja, no Rio Vermelho, em Salvador/BA.

A apresentação é colaborativa, isto é, o público paga o quanto puder para ajudar na manutenção do espaço e na viabilização do evento. Esse aspecto cooperativo é também uma característica da Orquestra, criada em 2009 pelo maestro Ubiratan Marques.

Hoje, o grupo é formado por 22 músicos que não recebem salário e muitas vezes têm que conciliar a arte com o trabalho em outra área. “Esse não é o meu caso, pois eu escolhi viver somente de música. Faço canções para cinema, televisão, teatro, dentre outras coisas. Sou um arranjador”, explica o maestro, que comanda o grupo até hoje.

Para o show na Casa Ninja, ele promete um repertório com algumas músicas inéditas do álbum Ourim (A Língua dos Anjos), que só será lançado em maio. Esse é o segundo disco da Orquestra. Algumas canções do primeiro álbum, Branco, também vão ser tocadas. “No mais, vamos trazer ao palco músicas de artistas baianos, alguns com quem já fizemos parcerias, como Gilberto Gil, Maria Bethânia e Baiana System”, diz o maestro.

No ano passado, a banda Baiana System lançou o álbum O Futuro Não Demora, cuja primeira faixa, Água, foi feita em parceria com a Orquestra. A música será apresentada hoje.

Essas parcerias são importantes para manter pulsante a Orquestra.

Contei com muita gente que está comigo desde o começo e contribuiu para que desse certo. Se eu fosse dizer que é fácil fazer uma música com poesia negra e indígena, estaria mentindo – maestro Ubiratan Marques.

Com cerca de 30 de carreira, o maestro reclama do preconceito que existe com a música afrobrasileira: “O país tem uma coisa muito eurocêntrica. Eles consideram que Beethoven é bom, mas Luiz Gonzaga, não. No entanto, a gente sabe que somos bons e temos orgulho em fazer música brasileira, ou melhor, afrobrasileira”.

Serviço:
O quê: Casa Ninja Bahia apresenta Orquestra Afrosinfônica
Onde: Casa Ninja (Praça Colombo, 3 – Rio Vermelho – Salvador)
Quando: Nesta teça-feira (04), às 21h
Ingressos: Valor colaborativo: o frequentador paga o valor que considerar justo
Fonte: Correio

Compartilhe.

Deixe uma resposta

treze + 17 =