Orquestra Educacional de Piracicaba anuncia volta aos palcos com quatro apresentações

Google+PinterestLinkedInTumblr+

A Orquestra Educacional de Piracicaba (OEP) anunciou o retorno aos palcos após o período de afastamento social adotado como medida de prevenção ao coronavírus.

Os concertos gratuitos estão programados para os meses de novembro e dezembro e respeitarão o plano local de retomada das atividades culturais, segundo o grupo.

Para o reencontro com o público, a orquestra preparou quatro apresentações. As duas primeiras, que ocorrem nos dias 19 e 21 de novembro, às 20h e 18h, homenagearão os profissionais que estão atuando na linha de frente de combate ao Covid-19.

Já para as duas últimas, programadas para 10 e 12 de dezembro, às 20h e 18h, um repertório com tradicionais músicas natalinas foi preparado.

Segundo Ivan Bueno, maestro da OEP, das nove músicas escolhidas para os concertos de novembro, duas são especiais. O tema do filme “A Lista de Schindler” será executada em memória às vítimas da pandemia que abalou o mundo em 2020.

Já a trilha sonora de “Os Vingadores” irá homenagear os profissionais que arriscam suas vidas no combate ao coronavírus.

“Queremos reconhecer a coragem, entrega e cuidado dessas pessoas com os doentes. São verdadeiros heróis anônimos. Não são apenas os médicos, mas também os enfermeiros, técnicos, socorristas, bombeiros, policiais, enfim, todos aqueles que estão na linha de frente dessa batalha contra o Covid-19”, afirma, em nota da OEP.

“Surgem Anjos”, “Noite de Paz”, “Oh, Noite Santa”, “Jesus Alegria dos Homens”, “Aleluia de Handel” e “O Primeiro Natal” estão entre as peças escolhidas para o repertório natalino.

“Serão concertos festivos que contarão com a participação da cantora Júlia Simões na interpretação das canções”, explica Bueno.

Retomada

Os concertos marcam o regresso da OEP que ficou mais de 200 dias em reclusão.

“Permanecemos sete meses sem ensaios presenciais. Não ficamos inativos. Durante a quarentena, mantivemos os 90 músicos ativos por meio de encontros pelo zoom para reflexão e ensaios de naipes em salas separadas”, conta Bueno.

Segundo o maestro, o distanciamento físico não afetou a produtividade do grupo.

“Nas salas virtuais, oferecíamos informações e orientações sobre as músicas que deveriam ser estudadas naquela semana. Deu muito certo. Tivemos participações muito especiais que compartilharam suas experiências sociais e culturais, enriquecendo nossos encontros semanais. Conseguimos manter a chama acesa do aprendizado, do interesse, da fé e da esperança”, declara.

O projeto busca promover experiências cognitivas, emocionais e estéticas tanto para os integrantes quanto para o público em geral.

“Por meio dos ensaios e concertos, a orquestra possibilita o aprimoramento técnico e interpessoal. Além da prática musical, a orquestra aprimora a percepção coletiva, o respeito, a tolerância, possibilita a troca de experiências, trabalho em equipe e socialização”, explica Bueno.

Fonte: G1

 

 

 

 

Compartilhe.

Deixe uma resposta

cinco × dois =