Orquestra Jovem Sesc Brasil vai do erudito ao popular em concerto no 10º Festival Internacional Sesc de Música, em Pelotas/RS

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Em formação inédita, orquestra de cordas reúne estudantes de seis Estados brasileiros

Os primeiros acordes da formação completa da Orquestra Jovem Sesc Brasil foram ouvidos na noite da última quarta-feira (29), no Theatro Guarany, em Pelotas /RS. Grupos de jovens do Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima e Sergipe que se conheceram há apenas 8 dias, no 10º Festival Internacional Sesc de Música, apresentaram para o teatro lotado um repertório composto por clássicos de Vivaldi e Guerra-Peixe, além de obras de compositores como Pixinguinha e peças contemporâneas, como trilhas de filmes.

O repertório eclético reflete a diversidade dos integrantes. De acordo com o maestro Fabrício Basso, que vem ensaiando com o grupo desde o início do evento, a qualidade técnica dos jovens, oriundos de projetos sociais desenvolvidos pelo Sesc em seus Estados, permite a execução de obras eruditas complexas sem adaptação: “Todos vieram já com muita qualidade. E a integração deles foi muito rápida. Esse é o poder da música: onde quer que músicos se encontrem, eles já saem tocando”, afirma.

A criação da Orquestra Jovem Sesc Brasil é uma novidade da edição deste ano do Festival Internacional Sesc de Música. A Orquestra é composta por 20 violinos, nove violas, oito violoncelos e dois contrabaixos e conta com o apoio de um percussionista. Formações menores se apresentaram para a comunidade nos dias 23 e 24 de janeiro. E mesmo depois de uma rotina rígida de ensaios e espetáculos, todos estão ansiosos para fazer parte do reduzido grupo que fará a última apresentação da Orquestra Jovem, nesta quinta-feira (30/01), na Colônia Santo Antônio – uma comunidade a 57 km do Centro de Pelotas que todos os anos recebe com festa os músicos do Festival.

Lorena Guimarães, de 16 anos, vem de Minas Gerais e toca violino: “o repertório é puxado, mas isso é bom, porque nos proporcionou um crescimento muito grande em um curto período”, garante. José Marcos Nunes Azevedo, de 14 anos, também violinista, é de Sergipe e afirma que a Orquestra Jovem Sesc Brasil representou a oportunidade de conhecer novas pessoas, ver alunos de níveis avançados e professores tocando juntos. Com todo o ambiente de aprendizado que existe durante o Festival, ele diz que se sente inspirado a continuar a estudar música.

Além das Orquestras Jovens, o Festival Internacional Sesc de Música reúne quase 400 estudantes avançados de música do Brasil e da América Latina que têm aulas com mais de 50 professores vindos de 14 países. Pela manhã, são realizadas aulas de 24 cursos, sendo 19 de instrumentos, canto lírico, composição, choro, prática de orquestra e prática de banda sinfônica. Durante a tarde, há ensaios e apresentações para a comunidade e à noite acontecem grandes espetáculos, totalizando mais de 60 atrações gratuitas.

A realização do 10º Festival Internacional Sesc de Música é do Sistema Fecomércio-RS/Sesc, com o apoio institucional da Prefeitura Municipal de Pelotas e apoio cultural da Universidade Federal de Pelotas, Universidade Católica de Pelotas, Faculdade Senac, Bibliotheca Pública Pelotense, Unisinos, OSPA, Expresso Embaixador, Ecosul, Café 35 e Biri Refrigerantes. A programação completa pode ser conferida no site www.sesc-rs.com.br/festival.

Compartilhe.

Deixe uma resposta

dois + 7 =