Orquestra Sinfônica de Sergipe contará com repertório orquestral ocidental 

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Na próxima quinta-feira, 05 de setembro, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse), sob a batuta de seu diretor artístico, maestro Guilherme Mannis, retorna aos palcos do Teatro Atheneu (R. Vila Cristina, 367 – São José, Aracaju /SE), para a performance de importantes obras do repertório orquestral ocidental.

Em destaque, a famosa Sinfonia nº3, Renana, do compositor romântico alemão Robert Schumann, além da Abertura “Festival Acadêmico”, de Johannes Brahms, e da brasileira Sinfonietta nº1, de Heitor Villa-Lobos. Os ingressos, a preços populares, estão disponíveis nas bilheterias do Teatro Atheneu. A Orsse é uma realização da Fundação de Cultura e Arte Aperipê, do Governo de Sergipe.

A Sinfonia nº 3 de Schumann é um marco, tanto na carreira pessoal do compositor quanto em sua concepção de música e temática. Considerada por Tchaikovsky o ponto máximo da produção de Schumann, esta obra foi composta entre os dias 2 de novembro e 9 de dezembro de 1850. Atesta Wasielewski, regente da orquestra de Düsseldorf, que a obra é inspirada na catedral de Colônia, que o compositor visitou em setembro de 1850 e no início de novembro do mesmo ano, nesta última vez para a elevação do Arcebispo de Colônia ao título de Cardeal. O último movimento da peça, Lebhaft, retoma a vivacidade e a energia dos trechos iniciais, com o intuito de se traduzir, musicalmente, o fluxo e a turbulência das opulentas águas do Reno.

Já Heitor Villa-Lobos é o principal compositor brasileiro de todos os tempos. Sua Sinfonietta nº1 é datada de 1947, época em que o compositor teve grande atuação didática no país, com a implementação de programas públicos de canto orfeônico e musicalização. Trata-se de uma obra em que se evidencia o profundo domínio composicional por parte de Villa-Lobos, visto pelo compositor francês Olivier Messiaen como um dos maiores orquestradores da história da música em todos os tempos.

Completa o programa a Abertura “Festival Acadêmico”, de Johannes Brahms, concebida para a comemoração da concessão de um título de Doutor “Honoris Causa” pela Universidade de Breslau ao compositor.

Fonte: Portal Infonet

Compartilhe.

Deixe uma resposta

20 − catorze =