Orquestrando o Brasil chega ao Norte do país

Google+PinterestLinkedInTumblr+

O projeto já realizou mais de 30 encontros, em diversas cidades brasileiras, reunindo regentes e coordenadores musicais

“O Orquestrando o Brasil é um projeto de mobilização. Começamos o projeto com um trabalho de formiguinha e hoje, nosso portal já se tornou o maior meio de comunicação que existe entre todos os grupos musicais do nosso país”, afirmou o maestro João Carlos Martins no encontro com regentes e coordenadores musicais de Boa Vista e região, realizado no último dia 15, no Teatro Municipal de Boa Vista/RR.

Roraima foi o primeiro estado no Norte do país a receber a equipe do Orquestrando o Brasil. Na ocasião, o diretor executivo do projeto, José Roberto Walker, ressaltou a qualidade de grupos musicais existentes no pais identificados pelo projeto. “Existem muitas orquestras e bandas espalhadas pelo país, muitas enfrentando dificuldades, sobrevivendo como podem, mas há uma quantidade impressionante de grupos fazendo um trabalho de alto nível como o que vimos aqui. Ficamos surpreso com a qualidade do trabalho envolvendo música feito aqui, em Boa Vista”, disse.

Walker reforçou ainda que o Orquestrando o Brasil é um projeto que reúne artistas, músicos e regentes e tenta somar esforços, tendo como simbolo a figura do maestro João Carlos Martins. “Não temos recursos financeiros para distribuir aos grupos, mas temos capacidade de incentivar, de ajudar na divulgação, na organização e a presença do maestro que abre muitas portas”, enfatizou.

O diretor presidente do IBVM, o maestro Carlos Felício, agradeceu a oportunidade da vinda do Orquestrando o Brasil para Boa Vista. “É um projeto maravilhoso e faz com que a gente possa sonhar que, em breve, poderemos criar um trabalho com toda a sociedade boavistense na área de música, pois aqui temos muitos profissionais, mas precisamos de apoio e por meio do projeto que o senhor criou, vamos conseguir avançar”, agradeceu.

Para o maestro e diretor musical do Instituto Boa Vista de Música (IBVM), Beany Cabrera, a transformação musical na cidade sugerida pelo maestro João Carlos Martins coincide com a sua expectativa. “Temos uma luta constante para fazer essa transformação, implantar um sistema como o da Venezuela, trazer mais músicos para cá para interagir com músicos brasileiros”, afirmou.

A chegada do Orquestrando ao estado também foi festejada por Januário Barbosa, um dos coordenadores do projeto Orquestra Sinfônica de Rorainópolis, do município de mesmo nome, que fica a 300 km da capital de Roraima. “O nosso projeto é ambicioso, atende hoje mais de 200 crianças carentes. Não temos condições financeiras para contratar professores e contamos com o apoio de colaboradores e tentamos a ajuda do poder público, mas é difícil. Quando a gente vê pessoas como o maestro João Carlos Martins e seu projeto, a gente fica feliz, nos motiva a continuar o nosso trabalho”, concluiu.

Compartilhe.

Deixe uma resposta

três × 2 =