Bolsa Orquestra irá beneficiar Orquestra Sinfônica de Vilhena/RO com R$ 120 mil

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Em ação importante de valorização da Cultura local, o prefeito de Vilhena/RO, Eduardo Japonês anunciou na última segunda-feira (4), o início do pagamento do Bolsa Orquestra, projeto que destinará R$ 120 mil para a Orquestra Sinfônica de Vilhena, composta por 60 integrantes. Este é o maior valor já destinado ao grupo pela Prefeitura de Vilhena e quatro vezes maior do que o último valor destinado, há cerca de dois anos.

Após adequação da lei e aprovação da matéria na Câmara de Vereadores, a iniciativa pode agora entrar em vigor com uma média de R$ 200 por mês para cada integrante. “A Cultura em nosso município esteve por muitos anos abandonada e agora, com ações eficientes e necessárias, a Fundação Cultural está reativando vários setores. Ela oferece curso de pintura, oficinas artísticas para jovens reeducandos, espaço para exposições artísticas, eventos musicais, apoia peças de teatro, feiras de artesanato, desfiles cívicos, festa de aniversário da cidade, conversas com produtores culturais e muito mais”, lembra o prefeito Eduardo.

A Fundação Cultural de Vilhena é a responsável pelo repasse e vai acompanhar de perto o projeto, que já tem casa na estrutura da entidade, visto que todos os ensaios da orquestra são realizados na Fundação. “É um prazer imenso poder ajudar os músicos da orquestra pois esse é um patrimônio de Vilhena. Todos se encantam de ver e o grupo é referência em todo o Estado”, garante Katia Valléria, presidente da Fundação.

Em luta pelo projeto desde o início, o vereador Rafael Maziero comemora o resultado positivo de suas indicações e articulações em parceria com o Executivo. “A ideia do bolsa-orquestra é algo que venho defendendo há um bom tempo, com o propósito de aliviar os custos que os componentes da Orquestra Sinfônica de Vilhena têm para desenvolver esse belíssimo trabalho em nosso Município. Nós precisamos dar valor à nossa Orquestra, pois ela traz Cultura e Educação para nossos jovens, além de música de qualidade de forma democrática”, disse Maziero.

A orquestra – Composta por 60 integrantes, sendo 55 músicos, 3 montadores, um arquivista e um administrativo, a Orquestra mantém também 4 professores instruindo individualmente mais de 70 alunos em suas aulas com o objetivo de formar novos músicos. Em 2017 a orquestra recebeu o apoio de apenas R$ 30 mil (que foram destinados apenas a material), valor que foi multiplicado por quatro neste ano e que será usado no custeio das atividades dos músicos, como era o sonho da entidade há vários anos.

Em visita à Prefeitura nesta semana, Ronis Salustiano, coordenador do projeto e agora músico da orquestra, desabafou. “Luto com isso há pelo menos 16 anos e o prefeito Eduardo foi o único que topou a ideia, foi ele quem disse: ‘Vamos fazer!’ e me atendeu todas as vezes, pessoalmente ou no telefone. É uma verba importante para o músico se manter, com transporte e materiais necessários. O Maziero e a Fundação também foram vitais nesse processo. Agradeço a todos que colaboraram, pois agora é realidade”, contou.

O coordenador garante que as faltas dos músicos aos ensaios serão controladas e cada ausência será descontada em sua bolsa. A soma dos descontos será redistribuída entre aqueles que têm frequência completa.

Animado com as perspectivas para o próximo ano, Ronis conta que a intenção da orquestra é realizar apresentações semanais de grupos da orquestra e concertos mensais com todo o corpo de músicos.

Os três concertos já previstos da orquestra, em novembro (nos dias 23 e 30) e em dezembro (no dia 20) devem encerrar as atividades da entidade neste ano para que 2020 recomece já com fôlego total: em janeiro a orquestra abrirá 30 vagas para alunos iniciantes. As inscrições poderão ser feitas na Fundação Cultural de Vilhena, das 7h às 13h, na esquina da avenida Tancredo Neves com a Presidente Nasser.

Fonte: Ariquemes Online

Compartilhe.

Deixe uma resposta

onze − um =