Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte lança Vídeo Homenagem nesta quarta-feira

Google+PinterestLinkedInTumblr+

A Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte – OSRN, através do Projeto Movimento Sinfônico, inicia nesta quarta-feira (31), a partir das 19h, a série Vídeo Homenagem, no canal oficial da OSRN, no YouTube. O início da Temporada 2021 traz a arte Barroca para o público, com músicos da orquestra apresentando, em forma de gravação e cada um na sua casa, uma homenagem aos 350 anos de Tomaso Albinoni.

Em passeios pela arquitetura barroca do RN e expressões da arte barroca no Brasil que tem esse estilo em suas histórias e estruturas, o material conta ainda com participação especialíssima de Durval Cesetti tocando órgão nas dependências da Igreja do Galo (Capela Santo Antônio), em Natal-RN.

350 anos de Tomaso Albinoni

O homenageado Tomaso Giovanni Albinoni (1671 – 1751), compositor de óperas e música instrumental, foi um compositor barroco, nascido na cidade de Veneza (Itália) e tornou popular a sua arte graças ao talento e estilo massivo. Na época, igualou-se a Arcangelo Corelli e Vivaldi.

Albinoni foi um dos primeiros a escrever concertos para violino solo, atraindo atenção de renomados como Johan Sebastian Bach, que escreveu fugas (estilo de composição contrapontista, polifônica e imitativa, de um tema principal, com sua origem na música barroca) sobre temas de Tomaso. Mundialmente conhecido por sua música instrumental, embora haja uma revisão para a autoria dessa composição, a partir de fragmentos da obra do italiano, O Adágio em G (sol) menor (Adágio de Albinoni) é uma das peças do estilo barroco mais conhecidas e aplaudidas pelo público.

Com mais de 70 óperas escritas, e 28 delas produzidas em sua cidade natal entre 1723 a 1740, parte do trabalho de Tomaso foi perdida durante a Segunda Guerra Mundial mediante a destruição da Biblioteca Estadual da Saxônia, no bombardeio de Dresden, no ano de 1945. Daí o motivo de pouco saber sobre suas obras a partir de 1720.

Música Barroca

O Barroco foi uma tendência artística que primeiro se desenvolveu nas artes plásticas, logo após, na literatura, no teatro e, por fim, na música. A palavra ‘barroco’, de origem portuguesa, significa pérola ou joia de formato irregular. Muito utilizada para designar o estilo da arquitetura e da arte do século XVII. Na música, o termo passou a ser aplicado pelos músicos para indicar o período da história da música, como o aparecimento da ópera, Orfeu de Monteverdi, em 1607 e do oratório, até a morte de Johan Sebastian Bach, em 1750.

Também foram criadas a fuga, a suíte, a sonata e o concerto. Uma época considerada de maior extensão da música ocidental, no qual, a música instrumental passa a ter a mesma importância da vocal. Dentre as características mais importantes do estilo barroco estão: o do baixo contínuo, contínuo, do contraponto e da harmonia tonal, em oposição aos modos gregorianos até então vigente. Com ritmo enérgico, melodias cheias de ornamentos, contraste de timbres de instrumentos e contraste de sonoridade forte e suave constituem a música barroca.

A Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte tem o Governo do Estado do RN como seu principal mantenedor. E a temporada 2021 é realizada através do projeto Movimento Sinfônico por meio do patrocínio via incentivo fiscal da Companhia Energética do Rio Grande do Norte – Cosern e Instituto Neoenergia, mediante Lei Câmara Cascudo do Governo do Estado do RN, da Unimed Natal, Hospital do Coração e Prefeitura do Natal, por meio da Lei Djalma Maranhão. O projeto Movimento Sinfônico é uma realização da OSRN / Fundação José Augusto e da MAPA Realizações Culturais. Apoio G7 Comunicação.

A OSRN é sua! Siga nossas redes sociais –

YouTube –  https://www.youtube.com/channel/UCH0Ui-ioCNEDxZ18Hvs6gvA

Facebook – @rnsinfonica

Instagram – @rnsinfonica

Compartilhe.

Deixe uma resposta

15 − catorze =