Orquestra transforma vida de crianças e adolescentes da zona rural de Glória do Goitá/PE

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Divina Sinfonia foi criada na cidade da Zona da Mata pernambucana e ajudou a melhorar desempenho escolar dos alunos.

Uma orquestra transformou a vida de crianças e adolescentes na zona rural de Glória do Goitá, na Zona da Mata pernambucana. A Orquestra Divina Sinfonia auxiliou na melhoria do desempenho escolar e mudou a forma de se expressar e encarar a vida dos integrantes (veja vídeo acima).

A orquestra nasceu depois de um levantamento do Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta), que ensina os agricultores a conviverem com a terra seca, mostrar que as crianças da roça não tinham direito à diversão, nem à arte.

“Foi uma ideia muito ousada, na perspectiva de construir um mundo rural que ele fosse ainda mais lúdico e transformador para as crianças do meio rural”, afirmou a coordenadora da orquestra, a professora Valdiane Soares da Silva.

A estudante Maria Eduarda Souza, de 10 anos, via a música clássica e o violino como um sono distante. “Ninguém imaginava que a gente um dia ia pegar num violino, pegar em outros instrumentos como esse né, isso é um sonho, né?”, disse.

Todos os dias à noite, Maria Eduarda estuda diante do olhar da mãe, a agricultora Maria das Dores Souza. “É só orgulho mesmo. Espero que minha filha nunca desista. Estou aqui para dar força. E está tendo a oportunidade que eu nunca tive”, relatou.

As notas musicais estão mudando a realidade de 54 crianças e adolescentes. “Mudou a minha timidez, que eu era muito tímida, mudou muita coisa na minha vida”, afirmou a estudante Jennifer Maria da Silva, de 14 anos.

A orquestra faz uma releitura dos clássicos da música erudita a partir dos ritmos regionais. Eles juntaram Mozart ao forró pé-de-serra e deram uma batida regional à valsa Danúbio Azul.

O projeto tem um ano e meio. As aulas acontecem a céu aberto e o jeito de ensinar é descomplicado: o maestro Rinaldo Souza buscou unir as notas musicais a frases das rotinas das crianças.

“A gente trabalha de uma forma brincando com as crianças e criança ensinando à criança para que seja uma linguagem para que elas possam atender. Aquelas que foram aprendendo mais rápido foram multiplicando e ensinando às demais”, explicou o maestro.

Os jovens músicos formaram grupos para trocar conhecimentos, com um ensinando ao outro. “Eu acho muito legal porque nunca pensei em ser professor, né? Ainda mais de instrumentos tão clássicos que nem esses. Chegar assim numa boa e dizer como é pra se fazer e como é que se faz pra mim é tudo de bom”, disse o estudante Eliel Eliandro.

A música garantiu às crianças o jeito de sonhar. A menina Maria Vitória do Nascimento Silva, de 8 anos, sonha com o dia em que vai poder se apresentar em outras cidades. “O nosso sonho é viajar de avião”, revelou, acrescentando que sim, acredita que o violino permitirá que isso aconteça.

Fonte: G1

Compartilhe.

Deixe uma resposta

dois × 1 =