Sabra divulga manuscritos musicais

Google+PinterestLinkedInTumblr+

A Sociedade Artística Brasileira (Sabra) acaba de lançar a plataforma “Tesouros Musicais Brasileiros’, que disponibiliza manuscritos musicais dos séculos XVIII e XIX. As partituras permitem um mergulho sonoro nas produções artísticas de Minas Gerais do período. A iniciativa inédita de um banco de dados gratuito e de fácil acesso tem o objetivo de democratizar o acesso às obras a musicólogos, historiadores e amantes da música em geral. Ao todo, são 375 manuscritos disponibilizados e 76 compositores identificados. A plataforma está disponível em tmb.sabra.org.br. No site, é possível consultar itens por título, compositor, instrumento, entre outros.

As partituras integram o acervo do maestro Vespasiano Gregório dos Santos, pianista e diretor de orquestras na época do cinema mudo, que herdou e conservou os manuscritos do seu pai adotivo , José Nicodemos da Silva. Ao longo de sua vida como regente, violoncelista, compositor e professor, o maestro José Nicodemos se apresentou em diversas cidades mineiras e no Rio de Janeiro. Os documentos de seu acervo refletem a religiosidade presente na música produzida nos séculos XVIII e XIX, em Ouro Preto, e no início do século XX, em Belo Horizonte. Além do gênero religioso, há partituras para bandas de música, música de câmara e de salão.

O Catálogo de Manuscritos Musicais presentes no acervo do maestro Vespasiano Gregório dos Santos foi inicialmente divulgado em 1999, pelo maestro e presidente da Sabra, Márcio Pontes, à época professor da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). O projeto, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), é considerado pioneiro nos estudos relacionados a acervos musicais do país, inspirando iniciativas semelhantes, como os acervos dos Museus da Inconfidência, de Arte Sacra de Ouro Preto e da Música de Mariana.

“Se por um lado a publicação dos catálogos musicais na internet no final do século XX revolucionou o acesso aos materiais, a tecnologia da época, agora obsoleta, torna muitos desses conteúdos inacessíveis. Muitos sites foram retirados do ar ou não são considerados seguros pelos navegadores, que impedem seu acesso. A atualização do Catálogo de Manuscritos Musicais do Acervo do Maestro Vespasiano Gregório dos Santos levou cerca de um ano e reforça o compromisso adotado desde o início da pesquisa de tornar documentos como estes acessíveis a pesquisadores, estudantes e pessoas que se interessam pela música, a fim de preservar o legado da produção musical de Minas Gerais e da cultura brasileira”, afirma o presidente da Sabra Márcio Pontes.

Ensino musical – Fundada em 2013, a Sociedade Artística Brasileira (Sabra é uma associação civil, sem fins lucrativos, com sede em Betim, Minas Gerais. A organização promove o ensino gratuito de música, com cursos de musicalização infantil, música, orquestra sinfônica, grupos Instrumentais de câmara, coral adulto e coral infanto-juvenil. A Sabra também atua por meio de concertos didáticos e apresentações públicas gratuitas com os grupos musicais formados por seus alunos e professores; além de desenvolver intenso trabalho de pesquisa sobre a música de compositores brasileiros dos séculos XVIII e XIX.

Em 2020 os concertos, ensaios e aulas presenciais foram suspensos devido à pandemia da Covid-19. Quase 2 mil estudantes estavam matriculados no ano passado em Betim e Nova Lima. O conteúdo foi adaptado para o ensino a distância. Em 2019, foram realizados 350 concertos. Mais informações podem ser obtidas em www.sabra.org.br. (http://www.sabra.org.br.)

Fonte: Diário do Comércio

Compartilhe.

Deixe uma resposta

2 + vinte =